Posts

A expressão Follow up é americana e significa acompanhar, essa ação tem sido amplamente utilizada pelas empresas de desenvolvimento organizacional, no sentido de orientar e capacitar os profissionais na realização desse método eficiente no gerenciamento das etapas dos processos organizacionais.

Na pratica quando alguém realiza um follow up, está desejando obter respostas de uma ação realizada ou pré-estabelecida, até mesmo para atuar de forma corretiva, caso algo tenha saído do planejado. Essa ação será fundamental para o sucesso no relacionamento com os clientes, fortalecendo o vínculo e gerando confiança, trazendo oportunidades de novos negócios.

O uso do follow up no relacionamento com o cliente traz vantagens competitivas para o negócio, pois o cliente percebe que o seu processo está sendo monitorado constantemente pela empresa contratada, trazendo segurança e maior confiabilidade.

A execução dessa importante ferramenta deve ser utilizada para agregar valor ao seu produto e empresa. Existem diversas maneiras de realizar o follow up, como por exemplo e-mail, contato telefônico, Skype ou até mesmo pessoalmente.

Podemos afirmar que fazer follow up traz redução de custos através da economia de tempo empregado para correção de erros e ajustes de processos, bem como um importante aliado a geração de confiança da marca

Os setores da Efficienza utilizam o follow up como ferramenta de trabalho com o objetivo de ser cada vez mais assertivo nos processos, garantindo a melhor experiência aos nossos clientes.

Por Joana Deangelis da Silva.

No  sábado, dia 07 de julho, a Efficienza recebeu a professora e palestrante Flávia Bernardi. No workshop, a palestrante abordou questões de atendimento ao cliente e vendas de serviços de forma geral, e aplicou os mesmos na área internacional.

Na abertura do encontro, Flávia demonstrou que para se ter uma parceria de sucesso o CRM (Customer Relationship Manegement) é indispensável e a empatia é uma característica que nunca deve ser ignorada, pois o vínculo entre cliente e empresa pesa muito na tomada de decisões.

A palestrante citou que para vender, é preciso ter convicção do serviço a ser vendido, passando segurança e sabendo tirar todas as dúvidas do prospect. “Quanto mais conhecemos as dores dos nossos clientes, mais teremos resultados positivos”, disse Flávia.

Ao fechar novos negócios, a segurança é exaltada, uma vez que muitos clientes estão iniciando na área de negócios internacionais e precisam de uma empresa que os apoiem em todas as decisões tomadas. Para isso, é necessário conhecer o perfil do cliente, bem como suas demandas e necessidades.

Também, foi abordado o tema Spin Selling, no qual a palestrante demonstrou que é preciso instigar a necessidade do cliente, para a empresa vender novos serviços. Para isso, é necessário identificar as necessidades implícitas do cliente e transformá-las em necessidades explícitas. Assim, demonstra-se a capacidade de atendimento dessa demanda e assume-se um compromisso com o cliente.

Além disso, Flávia citou a AMP (Atitude Mental Positiva), que é muito importante para o processo de negociação. A AMP permite desenvolver experiências positivas ao cliente, sempre demonstrando que o vendedor está disposto e bem-humorado a resolver qualquer situação. Para se ter AMP, a motivação interior é de extrema necessidade. Uma pessoa motivada sempre trará melhores resultados.

A palestrante realizou dinâmicas de grupo, a fim de conhecer melhor os clientes da Efficienza, além de incentivar o trabalho em grupo e instigar as metas pessoais dos participantes.

Por: Grupo de Treinamentos.

A APEX Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) realiza diversos projetos visando o desenvolvimento do comércio internacional no país. Um dos últimos, neste mês de outubro, focará no setor moveleiro, e ocorre em parceria com a ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário).

A forte adesão de empresas do setor no Projeto Brazilian Furniture sugere um grande interesse na expansão internacional das empresas brasileiras. O número de inscritos, considerado inédito no setor, foi de 32 empresas cadastradas. A missão ocorrerá em Bogotá, na Colômbia, mas visa expansão também para o Chile, Peru, Equador e Bolívia.

O retrospecto recente do setor corrobora o entusiasmo das empresas brasileiras na busca por negócios internacionais. De acordo com dados da ABIMÓVEL, em 2017, o segmento de estofados, móveis de metal, móveis de madeira e colchões obtiveram um crescimento das exportações em 75,5% para o México, 82, 4% para os Emirados Árabes e 36,8% para o Chile, em comparação com o mesmo período de 2016.

Notícias assim reforçam a importância e as oportunidades criadas pelo comércio internacional. Empresas atentas às oportunidades podem, além de obter um incremento em faturamento, criar uma base sólida de negócios no exterior que aumentem a competitividade, acelerem o desenvolvimento e às fortaleçam frente às dificuldades econômicas que possam surgir no mercado nacional, visto o que ocorreu nos últimos anos.

Por Mauricio Perini.

No período de 03 a 06 de outubro de 2017 ocorrerá em Caxias do Sul a 26ª edição da Mercopar, novamente nos pavilhões do Centro de Feiras e Eventos Festa da Uva, onde estarão reunidas grandes empresas que apresentarão as principais novidades em diversos setores da indústria.

Os lançamentos em equipamentos e serviços acontecem especialmente nos setores metalmecânico, eletroeletrônico, automação industrial, movimentação e armazenagem de materiais, serviços, borracha, plásticos, energia e meio ambiente, transformando a feira no principal palco da subcontratação e inovação industrial da América Latina.

Diante de um cenário cada vez mais competitivo, onde todas as oportunidades devem ser aproveitadas ao máximo, a Mercopar ocupa posição de destaque entre as alternativas para fomentar os negócios nos diversos segmentos, nos ultimos anos foram mais de 400 expositores e cerca de 25 mil pessoas passaram pela feira, sendo assim uma oportunidade ímpar de troca de informações e de conhecimento, seja através de palestras e oficinas, além das próprias novidades apresentadas pelos expositores.

Por Maicon Nicail Dall’Agnol Boeira.