Posts

Nesta quarta-feira (25) o governo chinês anunciou a retomada gradual do Porto de Ningbo-Zhushan, com expectativa de estar operando a pleno vapor no dia 1º de setembro. O Porto é um dos maiores terminais de carga do mundo, movimentando no último ano 1,2 bilhão de toneladas de mercadoria. Esta parada de quase um mês nas operações do porto tornou-se um evento com proporções cataclísmicas para os operadores de comércio exterior no mundo, gerando aumento no preço dos fretes, falta de equipamentos e atrasos nas cadeias de suprimentos.

O fechamento do Porto ocorreu através de uma medida sanitária imposta pela China onde no dia 11 de agosto foi identificado um caso de coronavírus entre os funcionários. Na ocasião, o terminal fechado culminou no isolamento domiciliar de 2.000 trabalhadores. Em maio deste ano, um evento semelhante havia ocorrido no porto de Yantian, gerando atrasos generalizados.

A notícia surge como um alento mundial as cadeias de suprimentos. A expectativa da retomada gradual do Porto volta a animar os importadores e exportadores e pela primeira vez em algumas semanas, surge uma luz no fim do túnel. Todavia, a estabilização da logística global será um processo lento e ainda não há expectativa de retomada aos patamares pré-pandemia.

Fonte: Zero Hora

Por: Bruno Zaballa

Diversas empresas brasileiras estão enfrentando a escassez de matéria-prima para fabricar suas mercadorias e poder comercializar aos seus clientes. O motivo disso, é que muitas empresas acabam importando insumos da China, e a Ásia está enfrentando contratempos com congestionamentos nos portos.

As autoridades locais, estão intensificando as medidas de desinfecção do surto de casos de Covid-19 e isso acaba causando um acúmulo maior de navios aguardando para operar nos portos.

A maioria dos portos da China estão exigindo teste de Covid-19 para tripulações e os navios continuam atracados até todos realizarem o teste. Caso algum tripulante testar positivo para Covid-19, o navio fica de quarentena e gera atraso ao embarque da carga. Além disso, alguns portos exigem quarentena de 14 a 28 dias para casos em que os navios transitaram pela Índia ou trocaram de tripulação 14 dias antes da chegada na China.

A maior onda de Conoravírus, está fazendo com que a China viva o seu maior momento de apreensão. Possivelmente o porto de Ningbo ficará fechado até o final do mês de agosto de 2021, visto que um grupo de colaboradores foram infectados com o COVID-19.

Por: Fernando Marques.